fbpx

Que meditar traz inúmeros benefícios à qualidade de vida, tanto para adultos quanto para crianças e adolescentes, não há dúvidas. Meditar fortalece a mente, alivia o estresse, melhora a capacidade de concentração e de foco, beneficia o sistema imunológico e retarda o envelhecimento.

Para educadores e professores que querem implementar mindfulness na sala de aula, ter uma prática própria é ainda mais importante. Afinal, só somos capazes de ensinar aquilo que somos; e umas das coisas mais importantes que temos a oferecer a nossos alunos é a qualidade da nossa presença. Assim, o professor precisa experienciar ele mesmo as práticas, seus obstáculos e benefícios, para só então poder propor essa prática aos alunos de maneira que ela seja verdadeira e faça sentido para eles.

Mas, para quem quer começar a cultivar a prática, encontrar um tempo no cotidiano –  que é sempre tão agitado – pode ser um grande desafio. É preciso preparar aulas, dar aulas, cuidar da casa, da família e ainda cuidar de si mesmo. Quem tem filhos ainda pensa, muitas vezes, na dificuldade que é achar um tempo sozinho para praticar.

Se você também tem essa percepção, pode se espantar com o quanto as crianças podem ser compreensivas, se receberem uma explicação adequada. E pode ser que você fique ainda mais surpreso com os resultados ao convidar a família (com ou sem crianças) a embarcar com você nessa jornada de meditação. Para ajudar, damos a seguir algumas dicas e sugestões sobre como praticar mindfulness em família e encaixar as práticas no seu cotidiano:

1- Escolha uma tarefa diária para praticar com atenção plena

Pode ser preparar o café da manhã, lavar o cabelo, arrumar a cama ou escovar os dentes. O importante é que, ao praticar aquela tarefa diária você se proponha a sair do piloto automático e preste atenção a cada movimento. Além da possibilidade de praticar a tarefa cotidiana com mais prazer, você estará treinando seu foco e sua concentração.

2- Pratique a escuta atenta

Quando estiver conversando com outra pessoa da família, disponha-se a escutar . Não simplesmente para saber o que responder, mas para entender o que a pessoa está dizendo. No livro Say what you mean, Oren Jay Sofer fala de como focar-se em interagir no que realmente interessa, para reduzir a ansiedade antes de conversas difíceis e estar realmente atento ao outro, com quem conversamos. 

3- Pratique mindful eating

Muitas pessoas pensam que mindful eating é uma prática utilizada apenas por quem tem algum distúrbio alimentar. Mas a verdade é que o exercício de atenção plena ao alimentar-se pode ajudar a melhorar o foco e a concentração a outras tarefas, em outras esferas da vida cotidiana. A proposta é bem simples: a cada bocado de alimento que levarmos à boca, prestar atenção a tudo o que está ali: cores, sabores, texturas, temperatura e cheiros.

4- Pratique um momento de quietude

Pode ser com técnicas de atenção plena à respiração ou um escaneamento corporal, por exemplo. Proponha para as crianças um escaneamento corporal lúdico, como a “viagem através do corpo”. É assim:imagine que você tem uma varinha mágica que ao apontar para uma parte do corpo ela faz com que você só sinta as sensações dessa parte e de maneira mais intensa. Aponte a varinha imaginária para o pé da criança e diga para ela descrever tudo que sente: o contato com o sapato, os dedos encostando um no outro, algum formigamento. Aponte para uma das mãos: está fria ou quente? Relaxada ou tensa? E assim uma vez de cada, passando por quantas partes durar o interesse da criança.

5 – Faça um diário de boas ações

Nosso cérebro tem maior sensibilidade para informações ruins que informações boas. Afinal, nos primórdios da humanidade, foi preciso aprender rápido quais eram os perigos que enfrentávamos, para que pudéssemos sobreviver. Por isso, anotar as atitudes positivas em um diário ajuda a notar o positivo e melhorar o bem-estar. Sendo assim, sempre que alguém da família presenciar alguém ajudando outra pessoa ou ouvir uma notícia positiva, contem um ao outro e anotem num diário. Desde coisas simples como “vi um moço ajudando uma senhora a carregar as sacolas do supermercado”  até imagens de bombeiros ajudando as vítimas de uma enchente.

Incluir práticas de mindfulness no cotidiano pode ser mais simples do que parece 😊 Espero que aproveite as dicas para uma boa meditação em família!