fbpx

“Mindfulness não é só uma prática, é uma cultura”. É isso o que Patricia da Nóbrega Pavan, diretora pedagógica da be.Living, responde quando é perguntada porque o programa da MindKids expandiu-se dentro da escola.

Segundo Patricia, mindfulness é algo que está completamente alinhado ao que a escola espera proporcionar aos alunos. “Temos a cultura do olhar individualizado para os alunos, do estar aberto para a escuta. Acreditamos que isso tem de estar na cultura, no dia a dia da escola”. Há algum tempo a be.Living buscava práticas que pudessem somar-se a iniciativas como as aulas de yoga, que já são parte da grade do ensino fundamental, para fortalecer a conexão com o presente.

Patricia: mindfulness como cultura inserida na escola

A diretora conta que uma mãe de aluno mencionou a MindKids e que a conexão da escola com a proposta do programa foi imediata. Desde o início de 2017, 50 professores já fizeram a formação e 60 crianças, entre 6 e 11 anos, passaram pelo programa. Agora é a vez dos pais.

Patricia acredita que é importante que todos os envolvidos no cotidiano da criança entendam a filosofia que está na prática de mindfulness para que s crianças possam de fato se beneficiar disso. “Fizemos questão de sensibilizar os professores, para que eles pudessem ter um olhar individualizado para cada aluno, para que isso fosse parte do dia a dia da escola”, afirma.

Um dos aspectos que chamou a atenção de Patricia é a base científica do mindfulness, que comprova o bem-estar e a melhora de aspectos como foco e atenção. “Estamos revisitando o projeto político-pedagógico da escola, no qual existem pilares como olhar, escuta e cuidado. Nesse contexto, mindfulness se encaixou muito bem, porque reforça o olhar sem julgamento, aberto e atento ao momento presente”, diz.

Patricia conta que as crianças trazem para a sala de aula muitos conteúdos relacionados ao mindfulness. “Eles resolvem conflitos com amigos e colegas, o mindfulness diminui a ansiedade antes das avaliações e potencializa a característica de olhar o outro. As crianças se olham e convivem melhor. Mindfulness já faz parte da rotina da be.Living. Não conseguimos mais pensar na escola sem mindfulness”, conclui.